4 verdades e mitos sobre investimentos

4 verdades e mitos sobre investimentos

Muito se fala nas vantagens de investir para obter retornos significativos na vida financeira. No entanto, muitas pessoas ainda acreditam em alguns mitos sobre investimentos que as impede de aproveitar os rendimentos de determinadas categorias de aplicações.

Desconhecer o assunto e seguir o senso comum são causas recorrentes para este comportamento. É por isso que neste artigo resolvemos listar os mitos mais infundados, para que você passe longe deles, e também as verdades sobre investimentos, para que você siga no caminho certo. Acompanhe!

Os mitos sobre investimentos

Vamos começar pelos mitos. Veja, a seguir, o que não passa de crença:

1. Investir em imóveis é sempre a melhor opção

Durante muito tempo, o sonho da casa própria esteve distante da maioria dos brasileiros. Essa situação fez crescer a ideia de que ter imóveis para locação era a melhor opção de investimento, afinal, sempre há gente precisando alugar.

No início dos anos 2000, o boom do setor da construção civil e algumas iniciativas do governo federal para ampliar as possibilidades de aquisição de imóveis animou os empresários do ramo. Junto deles, as pessoas comuns também se animaram a adquirir casas e apartamentos como uma forma de rentabilizar.

Mas será mesmo que um imóvel é a melhor opção de investimento? Parece que não. A partir de 2012, o mercado imobiliário brasileiro percebeu que estava abaixo da média global, o que fez com que os preços fossem reajustados pouco a pouco. Hoje, com o aumento da taxa Selic, os rendimentos com aluguéis foram perdendo valor.

2. Só ganha dinheiro na Bolsa de Valores quem sabe especular

Por falta de conhecimento mais aprofundado, grande parte dos brasileiros acredita que quem opera o mercado de ações é o típico “espertalhão”, que vive de especulações e informações privilegiadas.

Mas isso não é verdade. Há poucos casos de pessoas que ficaram milionárias comprando e vendendo ações conforme os movimentos do mercado.

Investir em bolsa de valores pode ser muito rentável. E isso até para quem não tem conhecimentos técnicos, uma vez que existem consultorias especializadas em cuidar da carteira de investimentos de clientes com pouca prática no assunto.

E não, não é preciso “especular”. É sim preciso fazer investimentos em papéis de empresas sólidas e ter auxílio especializado para lidar com os altos e baixos do mercado de ações.

3. O gerente da conta-corrente é a única pessoa confiável para me indicar investimentos

É bem verdade que os gerentes de contas são profissionais capacitados e que podem ser muito úteis para quem quer fazer investimentos. Mas eles não são os únicos.

Pelo contrário, a tendência é que o gerente só ofereça produtos e serviços financeiros do próprio banco, o que diminui o poder de diversificação dos investimentos. É importante não perder de vista que ele tem metas a bater, logo, sempre se esforçará para convencer seus clientes a investirem nos papéis que forem mais rentáveis para ele.

Além de contar com o gerente de contas do banco, o investidor deve também olhar para assessorias financeiras de bancos de investimentos. Essas instituições normalmente têm um leque maior de ofertas nacionais e internacionais para ofertar, e elas trabalham com o sucesso de seus clientes para potencializar os próprios ganhos.

4. Investir em renda fixa é garantia de não perder dinheiro

O termo “renda fixa” normalmente soa como “renda garantida”. Mas isso não é verdade. É possível sim perder dinheiro investindo em renda fixa — ou, no mínimo, não ganhar na quantidade esperada.

Fundos de renda fixa são ativos que podem perfeitamente ter volatilidade, ainda que não na mesma proporção que a renda variável.

É importante sempre ter em mente o chamado “risco de mercado”, que está ligado a ativos prefixados. Quando há uma variação positiva na taxa de juros, por exemplo, o investidor pode ter prejuízos se desejar fazer o resgate antecipado. Nesse caso, o mais aconselhado é esperar até o vencimento do título para obter a rentabilidade contratada.

As verdades sobre investimentos

Algumas verdades são incontestáveis quando falamos em investimentos. Veja, a seguir, quais são as principais:

1. Confiscar investimentos é hoje uma ação impensável

Depois do trauma vivido com a poupança durante o governo Collor, muitos brasileiros, sobretudo os mais experientes, passaram a olhar com desconfiança os investimentos. Há quem ainda hoje prefira guardar dinheiro em casa por conta da medida desastrosa tomada nos anos 1990.

No entanto, é consenso entre os economistas e profissionais especializados no mercado financeiro que esse tipo de medida é uma ação que sequer passa pela cabeça dos governantes. Na medida em que o mercado se organizou a partir do acontecido no início da redemocratização do país, não há chances de isso acontecer novamente.

2. Não existe ganhar dinheiro fácil em investimento

Não existe dinheiro fácil de forma alguma. Aliás, é importante que o investidor desconfie quando receber ofertas do tipo “transforme R$ 200 em R$ 200 mil em apenas um mês”.

Os investimentos mais rentáveis são aqueles que oferecem rentabilidade em médio e longo prazos. Não existem lucros milagrosos pelo simples fato de que o dinheiro não se multiplica por conta própria.

3. Títulos do Tesouro Direto são muito seguros

Com a crise que o país está vivendo neste momento, correm vários boatos de que o governo brasileiro poderia dar um calote na dívida pública. Muitos especialistas afirmam que isso não é verdade. E mais: apesar de todo investimento ter seu grau de risco, é consenso entre os economistas que investir no Tesouro Direto é uma das decisões mais seguras que existem hoje.

4. Investir em fundo imobiliário é melhor do que investir em imóvel físico

Para finalizar, vamos retomar o primeiro mito que apresentamos neste artigo. É comum muita gente acreditar que é melhor comprar um imóvel do que investir em fundos imobiliários.

Mas a verdade é que, ao investir em títulos de fundo imobiliário, as preocupações com reformas e manutenção, inadimplência do locador, tributação do valor do aluguel etc., típicas de quem tem um imóvel, não existem.

A liquidez dos fundos imobiliários é garantida, pois os títulos são negociados na bolsa de valores, o que permite ao investidor comprar e vender no momento em que achar mais apropriado, o que não acontece com tanta facilidade no caso de um imóvel fixo.

O que achou da nossa lista de verdades e mitos sobre investimentos? Continue navegando em nosso blog; leia agora como funciona o rendimento da previdência privada!