Quais são as suas dúvidas sobre planejamento financeiro pessoal?

Quais são as suas dúvidas sobre planejamento financeiro pessoal?

Eu sempre vou dizer que planejamento financeiro pessoal é uma das coisas mais simples do mundo. Então, por que será que muita gente não faz? Por que será que muita gente desiste? Simples! Surgem dúvidas que vão ficando para depois e as respostas parecem distantes.

Sendo assim, selecionei as sete perguntas que mais recebo quando o assunto é planejamento financeiro pessoal. Minha ideia principal é poder te ajudar com poucas palavras para que você não fique com dúvidas e você retome seu planejamento.

Faço minha poupança, mas sempre acabo gastando tudo em uma emergência. Como devo fazer?

A primeira coisa que precisa entender é que uma emergência pode acontecer em qualquer momento da vida. A questão é: você está preparado para um acontecimento que fuja do seu controle? Digamos que já tenha uma reserva guardada apenas para essas ocasiões. Ou melhor, já parou para pensar que se você paga o seguro de um carro, por exemplo, sai muito mais barato que mexer na sua poupança e ter que começar tudo de novo? Apesar do que muitos falam, pagar por um seguro sempre vai ser um bom investimento.

Afinal, cartão de crédito ajuda ou atrapalha?

Depende da sua mentalidade. Muitas pessoas sabem que no próximo mês não terão o dinheiro da fatura, mas mesmo assim compram desenfreadamente. Isso não é apenas falta de “QI financeiro”, mas também, falta de compromisso com o próprio futuro. Tenho inúmeros clientes que usam muito bem o cartão de crédito e ainda usufruem de belos descontos e viagens. Faça uma análise e veja se a forma que você está usando o seu cartão está adequada ao seu estilo de vida. Caso isso não esteja alinhado, opte por não usar até que toda a sua vida financeira esteja estruturada.

Como fazer pagamento das minhas dívidas e ainda conseguir pagar as contas da casa?

Eu sempre ensino em meus treinamentos e consultorias o seguinte: o valor destinado ao pagamento das dívidas não pode ser superior a 30% da sua renda. Mesmo que você leve um pouco mais de tempo para liquidar a dívida, vale a pena seguir essa regrinha.

As suas despesas mensais não podem ou não deveriam ultrapassar 60% de toda a sua renda. Então, avalie bem seu estilo de vida e veja se há um alinhamento. Olhe o seu orçamento e veja se ele está de acordo.

Você deve está se perguntando, o que faz com os outros 10%, certo? Invista!

Como assim investir se estou endividado? Essa é a pergunta que quase 100% dos clientes me fazem. Investir 10% talvez não te deixe rico, mas vai te ensinar que é muito mais prazeroso investir que pagar dívidas. Faz sentido para você?





Veja quais são os erros mais comuns de um orçamento doméstico.

Ainda sou muito jovem, preciso mesmo me preocupar com minha aposentadoria agora?

A nossa cultura é a seguinte: fique doente e depois procure um médico. Tenha seu carro roubado e só depois pense no seguro. Seja velho implorando ao governo por um mísero salário e se arrependa amargamente de não ter planejado uma aposentadoria no mínimo descente.

Quando somos jovens, achamos que a velhice não vai chegar nunca, ou que teremos filhos que não viverão suas vidas só para cuidar da gente. Isso não acontece. A velhice chega para todos, mas é na juventude que você decide o quão confortável e agradável ela será. Um bom plano de aposentadoria pode e precisa entrar no seu planejamento. Ele é, sem dúvida, um de seus melhores investimentos.

Mantenha-se informado sobre as propostas da reforma da previdência social que vão te afetar diretamente.

Tenho um bom planejamento, mas não consigo colocar nada em prática. Qual a melhor forma de resolver isso?

A melhor forma de resolver isso é você rever os seus objetivos. Onde você está hoje? Aonde quer chegar? Se você não está fazendo nada a esse respeito, pode ser que esse objetivo nem seja tão importante assim. Então, analise se ele é realmente muito importante para você. Eu tenho certeza que se a resposta é sim, não perderá a oportunidade de fazer acontecer. Não adianta ter o melhor planejamento do mundo se você não age. Planejamento não é só um controle, ele é ação e realização.

Já revi todo o meu orçamento e mesmo assim a conta não fecha. O que faço?

Isso acontece na maioria das vezes porque estamos pagando por um padrão de vida que ainda não é a nossa realidade.

Tenho uma cliente que me procurou muito endividada e estávamos tratando o assunto quando ela foi promovida e seu salário teve um aumento de cerca de R$ 2.500. Ficamos muito felizes, pois de fato, ela merecia aquela promoção.

Um dia eu estava saindo do estacionamento do shopping e quem eu encontro? A própria. Para meu desespero ela estava de carro novo. Assumiu uma parcela de R$ 2.100 num carro de luxo e adivinhe? Continuava endividada.

Parece um absurdo! E na verdade é. As pessoas assumem um estilo de vida que elas ainda não conseguem manter, por isso a conta não fecha nunca. Quanto mais dinheiro faz, mais gasta. Essa conta não é a mais indicada e nem a mais inteligente a se fazer quando o alvo é liberdade financeira.

Posso utilizar meu cartão de crédito para pagar as contas do mês?

Com certeza! Mas tem um “porém”. Você precisa ter certeza que o dinheiro da fatura estará lá na sua conta todos os meses intacto. Conheço muita gente que concentra todos os pagamentos do mês no cartão de crédito, pois acham mais fácil e organizado, mas a atenção precisa ser redobrada. Se você consegue, siga em frente.

Tomara que sua dúvida esteja aqui e que tenha sido esclarecida. Para finalizar, vou te dar cinco dicas bem simples para iniciar o seu planejamento financeiro pessoal.

1. Tenha em mente que um planejamento financeiro não é apenas um compilado de informações técnicas, mas um guia que precisa estar alinhado aos seus objetivos.

2. Tenha objetivos claros. Eles precisam ser bem definidos. Pergunte a si próprio: “É isso mesmo que eu quero”?

3. Estabeleça metas. Para que seus objetivos não se tornem sonhos nunca realizados, as metas irão te mostrar onde você está e o quanto falta para alcançá-los.

4. Crie um plano de ação. Agora que você já sabe o que quer, só precisa definir o que fazer para alcançar. Sem plano de ação é impossível alcançar um objetivo.

5. Tenha disciplina. Não adianta manter-se alinhado ao seu planejamento apenas durante um mês. Precisa ser uma constância. Torne a disciplina a sua melhor amiga e terás um planejamento financeiro imbatível.




Diana Reis

Master Coach com especialização em Coaching Financeiro, Hipnose Ericksoniana e PNL , Pós Graduada em Coaching e Gestão de Pessoas

Com mais de 10 anos de experiência em atendimento a multinacionais. Criadora do Método CRM (CONHECIMENTO, REAÇÃO E MULTIPLICAÇÃO) um método usado para mudar radicalmente a vida financeira de uma pessoa em 90 dias e já transformou a vida de centenas de pessoas.

  • Publicado

    07 de março de 2017

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Escrito por

    Diana Reis

  • Tags Relacionadas

    Finanças pessoais