Cálculo do seguro de vida: veja como fazer

Cálculo do seguro de vida: veja como fazer

Na contramão de outros setores da economia, o mercado de seguro de vida vem crescendo de forma impressionante nos últimos anos. Na hora de contratar uma cobertura é comum vir a dúvida sobre o cálculo do seguro de vida.

Se até algumas décadas, muitos brasileiros estranhavam ter um produto para proteção familiar em caso de morte, atualmente, o maior grau de esclarecimento da população, bem como a extensão da amplitude de coberturas do seguro de vida (indenização em caso de doenças graves, pagamento de despesas educacionais, cobertura de custos de diárias de internações/medicamentos, etc.) fizeram dessa proteção uma das mais procuradas no país.

Para se ter uma ideia do quanto o brasileiro despertou para a urgência em ter um seguro desse tipo, segundo dados da Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), em 2016, o segmento vida individual cresceu 27,4%, seguido da previdência privada, com expansão de 21,9% no ano.

O problema é que, mesmo com a consciência dessa importância, muitos brasileiros ainda não sabem como fazer o cálculo do seguro de vida. Como mensurar a indenização que sua família precisará em caso de sinistro?

Como a seguradora faz o cálculo do seguro de vida?

cálculo do seguro de vida

Assim como no seguro auto ou no seguro residência, a seguradora estipula o valor do prêmio do seguro em função do risco de ocorrência do sinistro.

Ou seja, ela avalia todas as variáveis inerentes ao seu perfil e mensura, por meio de cálculos estatísticos e técnicas de probabilidade, qual o tamanho do risco a que ela estará submetida ao longo da vigência da apólice.

No nosso caso específico, a fórmula da apólice do seguro de vida considera questões como idade, histórico de saúde, padrão financeiro, hábitos ligados à prática de exercícios físicos, profissão e até gênero (estatisticamente, mulheres têm maior longevidade).

Nesse cálculo do seguro de vida, é importante destacar que algumas situações podem encarecer significativamente o valor do prêmio. Dois exemplos são a prática de esportes radicais (como paraquedismo ou motociclismo) ou o exercício de profissões de risco (como engenharia química ou atividade mineradora).

Todo esse oceano de variáveis é calculado com o auxílio da chamada tábua biométrica, um instrumento que traz dados de sobrevivência e estatísticas da expectativa de vida da população de cada região.

O que considerar ao estimar o valor da indenização em seu seguro de vida?

Ok, explicamos como a seguradora faz o cálculo do seguro de vida. Você, portanto, já percebeu que o valor do seguro estipulado é a soma das variáveis de seu perfil com o custo das coberturas que você quer ter.

Mas e quanto a você, o que deve ser considerado na hora entender quais as especificações de seu seguro? Afinal, quais as coberturas que você precisa ter?

Se você se preocupa com o bem-estar da sua família hoje, certamente também pensa em como ela ficará quando você faltar. Principalmente se você é o principal ou o único provedor de renda. Dessa forma, há dois pontos importantes a serem considerados na estimativa de configuração de seu seguro:

• na sua ausência, de quanto sua família precisará para quitar suas dívidas atuais (como no caso de empréstimos, prestações ou hipoteca)?
• após pagamento das dívidas, qual o montante de recursos que ela necessitará (e por quanto tempo) para sobreviver com dignidade até que haja a possibilidade de se restabelecer financeiramente?
Ao fazer essa estimativa do cálculo do seguro de vida, leve em consideração as despesas imediatas, as cotidianas e as imprevistas. Veja alguns exemplos de despesas na lista abaixo:

• despesas finais, como contas médicas e funeral;
• moradia (aluguel, água, luz, gás, condomínio, telefone etc.);
• alimentação;
• transporte;
• vestuário;
• plano de saúde e odontológico;
• impostos;
• despesas imprevistas, como as de manutenção da casa, carro, despesas de saúde não cobertas pelo plano e medicamentos;
• educação dos filhos (nesse caso, é importante considerar a idade do seu filho mais novo e estimar por quanto tempo ele precisará de suporte financeiro até sua formatura).

cálculo do seguro de vida

Caso você não tenha reserva financeira, o ideal é que a indenização prevista na apólice seja suficiente para cobrir as suas despesas (no caso de invalidez) ou as de sua família (caso de falecimento) por um período entre 3 e 5 anos.

Ainda ficou na dúvida? Entre na página do Seguro Ideal Mongeral Aegon e faça uma simulação do produto ideal ao seu perfil!

seguro ideal

 

 

 

 

 

Quais os benefícios de ter um seguro de vida?

Além da indenização que você precisa mensurar no cálculo do seguro de vida, outra questão importante diz respeito a quais coberturas você precisa ter.

A cobertura básica de um seguro de vida é a que prevê indenização aos seus beneficiários em caso de morte (acidental ou natural). Entretanto, a maioria das apólices abarca também pagamento de indenização em situação de invalidez (temporária ou permanente). Neste caso, o beneficiário do seguro é o próprio segurado.

Você ou seus familiares podem optar por receber o valor da indenização de uma única vez ou em forma de renda mensal (ao longo de um determinado período). Entretanto, é importante frisar que as seguradoras trabalham hoje em dia com um rol extremamente amplo de coberturas possíveis, dentre as quais, podemos citar:

• cobertura em caso de doenças graves;
• ressarcimento de despesas com diárias em internação hospitalar;
• cobertura de despesas com medicamentos;
• custeio de despesas escolares dos beneficiários;
• pagamento de dívidas remanescentes.

Bom, você já percebeu que as possibilidades de configurar sua apólice de forma personalizada são vastas. Mas o que é imprescindível?

O que é essencial entre as coberturas de um seguro de vida?

As coberturas em caso de morte ou invalidez são as matrizes do seguro de vida (e, evidentemente, devem estar presentes em sua apólice). No mais, é preciso avaliar as peculiaridades de seu quadro familiar.

Se você tem filhos em idade escolar inicial (ensino fundamental) e eles estão matriculados em escolas particulares, o ideal é que seja inclusa no contrato uma cobertura para dar suporte à educação deles por um certo período (até que a família consiga se reerguer).

No entanto, se seus filhos já estão no ensino médio, provavelmente será mais fácil para eles terminarem seus estudos sem o apoio desse tipo de proteção.

Outro exemplo pode se dar no âmbito das profissões. Se você trabalha exposto a atividades com alto grau de riscos à saúde (como atuação em indústrias químicas ou jornada diária em contato permanente com incidência de raio-X), ter uma cobertura para o caso de doenças graves não é atrair “mau agouro”, mas ter uma atitude responsável e precavida diante da vida.

Depois de calcular as despesas, ajuste o valor para cima caso tenha mais filhos abaixo de 18 anos, alguém na família que precise de cuidados maiores com a saúde, dívidas e instabilidade no emprego. E para menos, se já tiver uma reserva financeira considerável.

Entendeu como funciona o cálculo do seguro de vida por parte da seguradora e, principalmente, como você deve mensurar quais as condições que sua apólice deve apresentar? Então entre em contato conosco e tenha uma consultoria personalizada na contratação do seu seguro de vida!

materiais educativos

  • Publicado

    28 de maio de 2018

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Seguro de vida