Quais são os investimentos de baixo risco mais recomendados?

Quais são os investimentos de baixo risco mais recomendados?

Quando falamos em investimentos, precisamos lembrar que os produtos financeiros envolvem vários riscos. Eles vão desde flutuações do mercado até movimentos políticos e legislativos, entre outros.

Seja como for, uma regra é certa: se não tem risco, não é investimento. Entretanto, vale destacar que é possível realizar um investimento de baixo risco — em termos de probabilidade de concretização.

E é sobre isso que queremos chamá-lo a refletir com este artigo. Continue com a leitura para saber mais sobre esse tipo de aplicação e conferir boas práticas para se tornar um investidor de sucesso!

O que são investimentos de baixo risco?

Saiba o que são os investimentos de baixo risco

Como dissemos, não existem investimentos livres de riscos. Os países que costumavam ter classificações de crédito intocadas, por exemplo, passaram por um período bastante difícil durante e algum tempo depois da grande crise de 2008.

É por isso que não se recomenda investir todo o seu dinheiro em apenas uma aplicação, em um único produto financeiro. A diversificação da carteira de investimentos ajuda a obter um controle maior dos potenciais riscos envolvidos.

Outra possibilidade é realizar o investimento de baixo risco, que é uma aplicação na qual há apenas uma pequena chance de perder parte ou todo o dinheiro investido. Ele é contrário ao investimento de alto risco, no qual há grandes possibilidades de perda monetária.

As diferentes faixas de riscos existentes, portanto, precisam ser bem mapeadas e estudadas — por meio de cursos, vídeos, artigos e livros sobre investimentos. Vamos considerar aqui dois casos que ilustram bem a diferença entres esses tipos de investimentos.

No primeiro cenário, há as ações notoriamente arriscadas, como de empresas de biotecnologia.

Um grande percentual de todos os novos medicamentos experimentais provavelmente vão fracassar e, não surpreendentemente, a maioria dos estoques de seus fabricantes também fracassará. Portanto, há uma alta chance percentual de os investidores e acionistas perderem dinheiro.

Em comparação, há aplicações mais moderadas (cujos exemplos citaremos no tópico a seguir). Quase não há chances de um investidor detentor desses títulos deixar de receber os juros e pagamentos.

Mesmo que houvessem atrasos no pagamento (algo extremamente raro em nossa história recente), os investidores provavelmente recuperariam ao menos os aportes realizados.

materiais educativos

Quais são os investimentos de baixo risco mais recomendados?

Agora que você já entendeu o que são e como funcionam os investimentos de baixo risco, veja quais deles são mais recomendados pelos especialistas!

Certificados de Depósito Bancário (CDB)

Os CDBs são títulos de renda fixa emitidos exclusivamente pelos bancos. Eles dão ao investidor a exata ciência de quanto ele vai obter de remuneração ou o tipo de cálculo utilizado.

O que faz com que o CDB seja considerado um investimento de baixo risco é o fato de ele ser amparado pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Em síntese, se o banco quebrar — algo bastante difícil — o FGC ressarce até R$ 250 mil por CPF.

Tesouro Direto

Tesouro Direto é um investimento de baixo risco porque é emitido pelo Governo Federal, e para que ele não cumpra com suas obrigações financeiras seria necessário um desequilíbrio total das contas públicas — o que certamente não está em nosso horizonte. Ainda assim, o Estado é o único que pode imprimir dinheiro, o que, no extremo, seria uma saída.

Debêntures

As debêntures — títulos de crédito transacionados entre uma empresa e uma pessoa — também são investimentos de baixo risco. Além disso, as que são “incentivadas” (emitidas para usar o dinheiro captado para obras de infraestrutura, por exemplo) são livres de imposto de renda.

As debêntures podem ser:

• não conversíveis — pagam juros periodicamente, no prazo acordado, e no vencimento pagam o valor de face acrescido dos juros;
conversíveis — podem ser transformadas em ações uma vez cumpridas as regras estabelecidas pela empresa emissora.

• Seu caráter de baixo risco se dá a partir da avaliação de agências especializadas, que classificam o grau de confiabilidade das empresas emissoras. Assim, é recomendado adquirir debêntures apenas de empresas que já têm histórico de boas pagadoras.

Letra de Crédito Imobiliário (LCI)

Os ativos financeiros do tipo LCIs são, na prática, empréstimos que as instituições financeiras tomam de investidores para realizar financiamentos no mercado imobiliário. Seus rendimentos são pagos em um prazo fixado pela instituição tomadora do crédito.

Além de isentas do imposto de renda, as LCIs também são de baixo de risco, pois estão protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito, mencionado anteriormente.

Letra de Crédito de Agronegócio (LCA)

As LCAs, que têm funcionamento bem parecido com as LCIs, são emitidas por instituições públicas e privadas e têm seus recursos destinados a fomentar o agronegócio. Elas são investimentos de renda fixa e também estão sob proteção do Fundo Garantidor de Crédito, o que os torna de baixo risco.

Como começar a fazer investimentos com segurança?

Se você tem medo de investir, fique tranquilo, pois o excesso de cautela não é uma exclusividade sua. A maior parte da população brasileira tem esse receio, algo que vem mudando a passos bem lentos no país nos últimos anos.

Confira, a seguir, uma série de dicas para começar a fazer investimentos de baixo risco com o máximo de segurança.

Saiba como começar a investir com riscos baixos

Estabeleça objetivos

Tudo começa ao planejar o que você quer fazer com os rendimentos dos seus investimentos. Trace objetivos claros, que podem ser de longo, médio ou curto prazo. Isso vai ajudá-lo a começar a olhar para os investimentos de baixo risco e ver quais deles se encaixam nas suas expectativas.

Conheça seu perfil de investidor

Em seguida, entenda que tipo de investidor você é ou quer ser. Você pode ser mais conservador (que não quer correr muitos riscos), mais moderado ou até mais ousado (agressivo ou arrojado, no jargão do mercado financeiro, podendo comprar títulos com riscos médios e altos).

Avalie e procure ajuda especializada

As corretoras são muito indicadas para quem quer investir. Elas têm profissionais especializados para ajudá-lo a fazer o planejamento e execução de investimentos.

Antes de escolher uma corretora, é importante pesquisá-la a fundo, solicitar recomendações e verificar como é sua reputação no mercado. Essa é uma parceria que tende a durar bastante tempo, então, é melhor saber exatamente com quem você está fechando contrato.

De que forma a Mongeral Aegon pode ajudar você?

Aqui na Mongeral Aegon Investimentos nós ajudamos milhões de brasileiros a desbravar o mundo dos produtos e serviços financeiros. Fazemos isso por meio de nossa seleção de fundos, que é composta pelas seguintes categorias:

• renda fixa;

• crédito privado;

• multimercado;

• ações;

• investimentos no exterior;

• produtos sob medida.

Como você pôde ver, caso esteja iniciando suas aplicações, ou seja naturalmente prudente, o mais recomendado é que volte seus esforços para o investimento de baixo risco.

E agora já sabe: pode contar com toda a credibilidade da Mongeral Aegon para começar a investir e potencializar seus rendimentos. Entre em contato conosco e veja como podemos ajudá-lo!

  • Publicado

    20 de dezembro de 2019

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Investimentos