7 dicas para viajar com dólar e euro altos

7 dicas para viajar com dólar e euro altos

Em tempos de dólar e euro altos em relação ao real, é mais que normal que a gente fique em dúvida na hora de viajar. Planejar aquelas férias na Europa, nos Estados Unidos ou em qualquer outra região que opera com essas moedas se torna um dilema. Mas não precisa ser assim, sabia?

Neste post, você vai conhecer algumas alternativas para viajar sem gastar muito dinheiro. Acompanhe!

7 dicas para viajar com dólar e euro altos

dólar e euro altos

Dólar e euro caros não podem impedir seu sonho de viajar

Nos últimos anos, a macroeconomia brasileira vem enfrentando instabilidade. Uma reportagem da Folha de S.Paulo mostra que o país, apesar de já ter superado a recessão, vive uma lenta retomada de crescimento.

Segundo dados da FGV levantados pelas repórteres, em maio de 2018, quando nossa economia começou a crescer novamente, a alta no PIB era de apenas 2,2% na comparação com 2016, época em que o cenário era muito parecido.

Essa situação faz com que o real se desvalorize frente às moedas americana e europeia. E viajar com esse panorama de oscilação pode ser assustador para muita gente que, por mais que venha economizando há tempos, não quer perder seu poder de compra.

Saiba desde já: o segredo para superar esse medo está no planejamento financeiro. É isso mesmo! Com um pouco de pesquisa e disciplina, é possível economizar dinheiro para que o sonho das férias no exterior não precise ser adiado.

7 dicas para viajar mesmo com o dólar e o euro nas alturas

Confira a seguir 7 dicas valiosas que certamente o ajudarão a tomar um avião em destino a suas tão merecidas férias, encontrando uma boa hospedagem e não transformando seu cartão de crédito em uma armadilha!

1. Planeje a viagem com antecedência

Assim como tudo que envolve custo-benefício, uma viagem precisa ser planejada com antecedência. Com tempo hábil, é possível pensar e pesquisar vários destinos para não acabar optando pelo mais caro.

Em vez de gastar todo o seu dinheiro ficando 7 dias em Paris, por exemplo, você pode criar um plano para aproveitar 2 dias na capital e usar os outros 5 em outras cidades do país ou até em outros países da União Europeia. E tudo com o mesmo montante!

Da mesma forma, com a devida antecedência, você pode conversar com diversos agentes de viagens, negociando sem qualquer senso de urgência para atrapalhar. Nesse cenário, até as passagens saem por um preço menos salgado! Afinal, ao simular diversas vezes sua compra de voo, você pode ver em que dias os custos são menores.

seguro ideal

2. Compre a moeda aos poucos

Se você tem tempo, o ideal é que vá comprando euro ou dólar aos poucos. Assim, pode acompanhar as flutuações do mercado internacional e aproveitar o câmbio mais favorável possível. Do contrário, fazendo a compra de moeda nas vésperas da viagem, os riscos de se deparar com uma grande desvalorização do real são grandes.

3. Fuja de empréstimos bancários

Um erro bastante comum é fazer um empréstimo para viajar. Mas você sabia que as taxas de juros dos bancos brasileiros estão entre as mais altas do mundo? Entenda: nunca é um bom negócio pegar crédito para algo que não é propriamente para investir.

Prefira economizar, fazer um investimento de médio ou longo prazo e até apostar na poupança para juntar dinheiro suficiente para sua viagem. Assim, você não volta do seu destino com aquele gosto amargo de continuar pagando as parcelas abusivas do que pegou emprestado do banco.

4. Evite usar o cartão de crédito no exterior

O uso do cartão de crédito no exterior é cômodo, mas nunca é um bom negócio do ponto de vista financeiro. As flutuações do dólar e do euro podem trazer surpresas bem desagradáveis na hora do fechamento da fatura.

Se a cotação da moeda do país que você visitou subir muito no momento em que sua fatura é fechada, os valores do que você comprou podem subir também. Melhor tentar evitar esse susto, não acha?

Prefira um cartão pré-pago, aquele que o usuário carrega com um determinado valor e usa para suas compras no exterior. Com o dólar ou o euro pagos antecipadamente, você não vai ficar refém das flutuações cambiais.

5. Considere ir na baixa temporada

Outra dica bastante interessante para viajar sem gastar muito dinheiro é aproveitar as baixas temporadas turísticas do destino escolhido.

Veja em que épocas do ano o país para onde você vai costuma receber mais visitantes e não vá nesses períodos, pois os preços da rede hoteleira, do comércio e até das companhias aéreas tendem a ser mais altos.

Nas baixas temporadas, entretanto, os preços caem. É a famosa lei da oferta e da procura. Faça bom uso dessa máxima mercadológica e aproveite suas férias sem que seu bolso sofra!

6. Explore meios alternativos de transporte

dólar e euro altos

Muitas vezes, por não conhecermos muito bem a cidade visitada, tendemos a gastar muito dinheiro com táxis ou alugando carros. Isso sem falar na tentação de usar os serviços de transporte solicitados via aplicativo, que cobram direto no cartão de crédito — o que, como vimos, não é indicado para quem quer economizar. Há alternativas!

Aproveite o transporte público para apreciar a paisagem e, ao mesmo tempo, se inserir no cotidiano das pessoas que vivem onde você vai passar suas férias. Use ônibus, metrô, trem… Na Europa, você pode aproveitar as integrações para pagar apenas um bilhete e usar diversas modalidades de transporte. Assim, você vai conseguir se deslocar com bastante conforto e, no final, gastar bem pouco!

7. Hospede-se em um bom local, mas sem luxo

A hospedagem é um dos itens mais salgados em matéria de custo quando falamos em viagens para o exterior. Afinal, é preciso encontrar uma acomodação bem localizada, segura, com boa higiene… E cada um desses itens custa dinheiro!

Aproveite a internet para fazer uma pesquisa aprofundada das opções com bom custo-benefício. Que tal alugar um apartamento ou um quarto por meio de um aplicativo que conecte hóspedes e proprietários? Se a ideia é economizar, esqueça o luxo! É sim possível encontrar hospedagem de excelente qualidade por um preço bem mais acessível. Experimente!

Como você viu, com algumas atitudes simples, é possível não sacrificar suas finanças por conta dos períodos de desvalorização do real perante as moedas internacionais. O segredo está em não tomar decisões precipitadas, analisar as diversas alternativas disponíveis e reduzir algumas exigências, planejando e agindo com cuidado.

O que você achou das nossas dicas para viajar gastando pouco mesmo em tempos de dólar e euro caros? Para acompanhar nossas próximas publicações, siga nossos perfis no FacebookTwitterLinkedInInstagram e YouTube!

materiais educativos

  • Publicado

    16 de novembro de 2018

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Viagem